Missa de 05.02.2012 “Ai de mim se eu não evangelizar”

Vivemos o 5º Domingo do Tempo Comum e a Liturgia nos revela Cristo como o libertador dos males que afligem a humanidade. Todo aquele que é curado por Jesus é motivado a anunciá-Lo e servi-Lo. Na Paróquia São Pedro, em Taguatinga Sul, a Santa Missa foi celebrada pelo Padre Moacir Anastácio, assistido pelo Diácono Paulo. Nossa resposta ao salmista foi: “Louvai a Deus porque Ele é bom e conforta os corações”.

 Evangelho: Marcos 1, 29-39

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo, 29Jesus saiu da sinagoga e foi, com Tiago e João, para a casa de Simão e André.
30A sogra de Simão estava de cama, com febre, e eles logo contaram a Jesus.
31E ele se aproximou, segurou sua mão e ajudou-a a levantar-se. Então, a febre desapareceu; e ela começou a servi-los.
32À tarde, depois do pôr do sol, levaram a Jesus todos os doentes e os possuídos pelo demônio.
33A cidade inteira se reuniu em frente da casa.
34Jesus curou muitas pessoas de diversas doenças e expulsou muitos demônios. E não deixava que os demônios falassem, pois sabiam quem ele era.
35De madrugada, quando ainda estava escuro, Jesus se levantou e foi rezar num lugar deserto.
36Simão e seus companheiros foram à procura de Jesus.
37Quando o encontraram, disseram: “Todos estão te procurando”.
38Jesus respondeu: “Vamos a outros lugares, às aldeias da redondeza! Devo pregar também ali, pois foi para isso que eu vim”.
39E andava por toda a Galileia, pregando em suas sinagogas e expulsando os demônios.

– Palavra da Salvação. 

– Glória a vós, Senhor.

Padre Moacir clamou o Espírito Santo e iniciou a homilia comentando a Primeira Leitura em que vemos Jó que agora está inundado em sofrimentos, mas antes tinha felicidade, filhos, mulher, amigos, rebanhos e mais rebanhos e era respeitado e considerado.

Ocorre que Satanás se apresentou diante de Deus e exclamou como Jó está bem era fiel ao Senhor e se portava assim porque era  cumulado de graças e  bênçãos. Se assim não o fosse, não agiria assim com Deus. E o Senhor permite, então, que tudo seja tomado de Jó: a mulher, os filhos, os bens e a própria saúde. Jô chega a exclamar que seus dias se arrastam sobre a Terra, em sofrimentos. Ele está numa fase terminal, vivendo a noite escura, cheia de angústia e penar, mas sabe que a vida e o sofrimento são passageiros.

Na Segunda Leitura, Paulo diz que, para ele, pregar o Evangelho é uma imposição, uma necessidade. Chega a exclamar: “Ai de mim se eu não evangelizar”. Paulo sofreu em terra, no mar, foi açoitado, ridicularizado, mas não deixava de evangelizar pela Grécia,

Turquia, Roma e tantos outros lugares. Essa foi a missão dada a ele por Deus: de levar o Evangelho e a salvação a todos os recantos do mundo. Ele tem a consciência de que o homem precisa de Deus e que sua missão é tirar as pessoas da escuridão e apresentá-las a Jesus Cristo. “Dele eu era inimigo, mas Ele me trouxe para si e só faze-Lo ser conhecido e amado”, diz Paulo.

No Evangelho, vemos que Jesus curou a sogra de Pedro. Ele aproximou-se da enferma, pegou a sua mão e levantou-a. Precisamos aprender esse gesto com Jesus Cristo: levantar os caídos, os doentes físicos, os que sofrem de doenças morais e espirituais. Nós conhecemos o Salvador e, por isso, não podemos deixar que as pessoas continuem a sofrer por não conhecerem o Crucificado. Essa missão nos foi dada e não podemos nos omitir. Muitos se perderam no caminho, estão como que dormentes, desviados do caminho, encantados com as coisas do mundo e do demônio. É nosso dever levantá-las, abrir-lhes os olhos e fazer com que retornem ao caminho. Deus nos chama a salvar nós mesmos e os outros.

Quando ainda estava escuro, Jesus se levantou e foi rezar. Mesmo sabendo quem era, Ele não deixava de rezar. “Saco vazio não pára em pé”, diz o ditado. Se Jesus Cristo se abastecia na oração, porque nós achamos que dela não precisamos ou basta rezar um pouco apenas? É preciso se comprometer com a obra de Cristo com as orações, com a doação de nosso tempo e também a doação material. Para se levar Jesus Cristo nos dias de hoje,é preciso usar o rádio, a televisão, a internet, os microfones e tudo isso custa. Saibamos retribuir a Deus tudo o que nos foi dado, sendo fiéis no dízimo e na sua eficácia para edificar a Igreja do Senhor.  Por que somos tão infiéis no dízimo, em retornar a Deus parte do que Ele nos concedeu? Seria porque confiamos mais na nossa capacidade e trabalho do que a graça de Deus em nossas vidas?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *